#22 Adoptar o copo

#22 Adoptar o copo

Há mudanças muito fáceis de fazer, como trocar as escovas de dentes de plástico por escovas de bambu ou madeira. E depois há outras mudanças que exigem grande compromisso e uma valente dose de determinação. O copo menstrual é uma delas: é preciso vencer a barreira inicial que surge sempre da primeira vez que uma mulher olha para um copo menstrual; depois é preciso passar a fase da investigação sobre prós e contras; avançar com coragem para a experiência de usar o copo; e, finalmente, resistir à adaptação dos primeiros meses. Vamos então por partes.

 

1. Aqui está um copo menstrual!

A imagem pode ser vista no início deste artigo. Quando vamos a feiras, mercados ou escolas, levamos sempre um copo menstrual para que as pessoas possam ver, voltar a ver, rever de todos os ângulos, tocar, dobrar, puxar ou apenas contemplar. Não é, pelo menos para a minha geração ou para as anteriores, um objecto a que estejamos habituadas, nunca foi visto em casa dos pais e não foi com isto que iniciamos os nossos cuidados com a menstruação. Então, é preciso a pessoa habituar-se. Raramente alguém compra um copo menstrual ao primeiro contacto: depois da primeira impressão, é preciso ir para casa pensar no assunto e investigar mais. (Esta é, curiosamente, uma das coisas que me leva a gostar tanto de participar em mercados que, à partida, não são necessariamente ligados à sustentabilidade: lá vou encontrar pessoas que ainda nunca tinham visto um copo menstrual, uma pasta de dentes em boião de vidro ou um wrap para comida feito em tecido e cera de abelha: o fascínio e a primeira curiosidade são impagáveis e fico sempre, imodestamente, a pensar que estou a lançar sementes à terra.)

2. Investigar

Nesta fase, começam a surgir os factos que, de tão impressionantes, vale sempre a pena relembrar. Afinal, porque é que o copo menstrual pode ser a melhor opção?

    • mais sustentável: estima-se que cada mulher usará mais de 11.000 produtos de higiene íntima descartáveis ao longo da sua vida; todos os anos, mais de 45 biliões de produtos de higiene feminina são descartados em todo o mundo; o copo menstrual é reutilizável, só é necessário um para cada dez anos de período.
    • seguro: o copo menstrual não contém látex, é hipoalergénico e não contémo corantes, perfumes, BPA, ftalatos, plástico, branqueadores nem toxinas; é feito de silicone medicinal macio, criado por mulheres para ser a alternativa ecológica, segura e conveniente aos absorventes internos e externos; enquanto os absorventes internos absorvem 35% da humidade vaginal, o copo menstrual não seca a vagina nem deixa vestígios de fibras.
    • conveniente: suportando 3 vezes mais do que um absorvente interno comum, o copo menstrual oferece uma proteção mais duradoura nos dias de fluxo mais intenso. E como não é absorvente, não causará ressecamento nos dias em que a menstruação for mais leve.
    • económico: cada mulher precisa apenas de um copo menstrual, que se paga após 6 a 8 meses e só precisa ser renovado a cada dez anos.
    • a Mooncup, marca de copos menstruais que vendemos na Terra Batida, oferece um Serviço de Orientação por email e telefone executado por enfermeiras.

3. O próximo passo é agora experimentar.

Tal como em todas as experiências de cuidados com a menstruação, a primeira vez é sempre aquela que traz mais desafios. É natural que sejam necessárias algumas tentativas, que não se consiga introduzir o copo à primeira e até que se sinta durante as primeiras utilizações. Este é o momento em que é importante não desesperar: aceitar que leva tempo e pensar que, se chegamos até aqui, é porque queremos realmente fazer esta mudança e achamos que vale a pena. Força! Para além das informações que estão na loja da Terra Batida, o site do Mooncup contém muita informação importante sobre a utilização, com imagens e vídeos explicativos. Podem ver tudo aqui. E qualquer coisa, estamos sempre disponíveis para ajudar no que for preciso ;)

4. Finalmente, é ser persistente e, mais uma vez, aceitar que a utilização do copo menstrual requer alguns meses de adaptação.

Claro que isto não é linear: se para algumas pessoas a adaptação pode ser muito fácil e rápida, para outras pode durar bastante tempo; pelo que tenho lido e pelos testemunhos que tenho ouvido, os primeiros meses são por norma aqueles em que os desafios são maiores. Depois é usufruir de saber que reduzimos em muitos milhares os descartáveis que iríamos ter utilizado ao longo da vida, não fosse o nosso copo menstrual

 

As informações contidas neste artigo podem ser verificadas aqui, no site do Mooncup. Mooncup é a marca que comercializou o primeiro copo menstrual feito em silicone médico macio e é a marca que temos na nossa loja online.

**

Este artigo faz parte do desafio "52 ideias para fazer menos lixo/desperdiçar menos, mudar o mundo", que é isso mesmo, um desafio. E como este desafio há muitos. Não pretendemos estar a inventar nada, mas também não estamos a copiar ninguém. As ideias aqui sugeridas, e a sua apresentação em 52 semanas, pretendem, isso sim, ser apresentadas como algo acessível e passível de ser feito facilmente por todas as pessoas. Isto porque acreditamos que os caminhos longos, como este de ter uma vida mais sustentável, são mais difíceis de iniciar. Mas, como todos os caminhos, fazem-se com um passo de cada vez.

Créditos da imagem: @danielanapolitanophotog via Twenty20

Produtos Relacionados