#20 Renovação na cozinha, ao nível do desperdício

#20 Renovação na cozinha, ao nível do desperdício

A cozinha é, com efeito, uma grande produtora de desperdício. Isto porque nela cozinhamos diariamente, o que já em si provoca desperdícios, mas também porque exige grandes cuidados de limpeza, que são por sua vez, também grandes produtores de desperdícios, tanto ao nível das embalagens como dos químicos que, através dos produtos de limpeza, deitamos através dos canos diariamente.

O post desta semana procura ajudar quem está nesta jornada de diminuição de desperdício e quer algumas dicas sobre como fazer limpezas recorrendo a produtos mais naturais.

Há uma regra básica que sigo e que inclui os “detergentes” básicos: bicarbonato de sódio e vinagre puros funcionam na perfeição quando aplicados directamente nas sujidades mais difíceis. Para tudo o resto basta utilizar os mesmos ingredientes mas mais diluídos.

Aqui ficam algumas ideias. Algumas testadas por mim e utilizadas recorrentemente aqui em casa. Faço também referência a alguns sites ou blogs que vale a pena seguir e que têm receitas muito interessantes, simples de fazer e eficazes.

 

Detergente da Loiça

Há várias formas de consumir menos embalagens de detergente para a loiça. E se reduzir a embalagem já é significativo, ser mais selectivo nos ingredientes nos nossos detergentes é o passo seguinte. Aqui ficam algumas opções:

  • comprar um detergente com dispensador de espuma. Quando acabar, comprar nova embalagem de detergente à escolha (as maiores podem sair mais baratas e poupa-se também em embalagem) e continuar a utilizar o mesmo dispensador: encher com metade detergente e metade água (pode ser necessário ajustar as quantidades, mas regra geral é isto) e utilizar como habitualmente. O detergente vai sair já em espuma e, uma vez que se utiliza diluído, vai durar muito mais tempo.
  • escolher detergentes comprometidos com o ambiente. Já existem algumas opções de detergentes ecológicos nos supermercados, em que o foco está na qualidade dos ingredientes e ausência de substâncias tóxicas para o meio ambiente.
  • escolher um sabão para a loiça em barra. Já ouvi alguém dizer que utilizava, com sucesso, sabão azul e branco para lavar a loiça: pouca embalagem, eficácia e muito rendimento. Nunca cheguei a experimentar esta opção, entre outras coisas porque as listas de ingredientes destes tipos de barra de sabão são um pouco enigmáticas e isso não costuma ser bom sinal. Felizmente, já existem barras de sabão desenvolvidas especificamente para a loiça, feitas em Portugal e apenas com ingredientes naturais. Na Terra Batida, vendemos a barra de sabão artesanal da Mind The Trash, que é absolutamente maravilhosa: o melhor desengordurante que alguma vez usei!

 

Esfregões e panos absorventes

Hoje em dia, já há muitas opções ecológicas no que se refere a panos e esfregões. O problema com os esfregões e panos convencionais, a maior parte dos que se encontram nos supermercados, é que contêm microplásticos que se vão desintegrando do esfregão e seguem directamente para os cursos de água, impossíveis de detectar pelas ETAR. Ao utilizar, por exemplo, esfregões de fibra de côco ou algodão isso significa que, se houver alguma desintegração natural destes materiais, isso não acarreta qualquer problema para o ambiente, uma vez que são matérias primas naturais e biodegradáveis. É fácil encontrar esfregões em fibra de côco e também é possível fazer em casa os equivalentes às esponjas, como nesta sugestão do blog I Met God, She’s Green

Também é possível reutilizar limões para limpeza de superfícies: basta guardar as metades de limão utilizadas para alimentação e, quando necessário, esfregar as superfícies, por exemplo a bancada da cozinha, com a parte interior do limão.

 

Limpeza do forno

Borrifar o forno com água e espalhar bicarbonato de sódio. Deixar actuar durante e noite. Esfregar e limpar.

 

Desentupir os canos

Esta receita funciona melhor quando é utilizada de forma preventiva, ou seja, quando ainda não há problemas mas queremos evitar que venha a haver. É muito simples e basta fazê-lo a cada dois ou três meses, dependendo das rotinas da família, da frequência de utilização dos canos e dos produtos de higiene utilizados (a utilização de cosméticos mais naturais pode exigir mais cuidados com os canos do que o uso de convencionais; isto pode parecer contraditório, mas na verdade não é: os cosméticos naturais são feitos com óleos como azeite e óleo de côco e sem recurso a agentes detergentes, o que faz com que, ao cumular nos canos possam causar problemas).

 

Limpeza do chão

Pode fazer-se um “detergente” concentrado com cheirinho a limão da seguinte forma: colocar cascas de limão num frasco e encher com vinagre. Utilizar diluído em água para chão ou outras superfícies. Guardar o que sobra para futuras utilizações.

 

Resíduos de queimado nos tachos 

Humedecer com água a zona queimada (normalmente o fundo) e espalhar por cima bicarbonato de sódio. Deixar uma camada generosa de bicarbonato que deve estar toda húmida, como uma pasta. Cobrir toda a zona queimada e deixar repousar de um dia para o outro, quanto mais horas melhor. Para retirar, utilizar uma espátula de inox ou uma colher e raspar o fundo. O queimado vai sair facilmente. No final, lavar o tacho como normalmente faz.

 

O blog Ana, Go Slowly tem várias dicas bem minimalistas para cuidar da casa de forma mais sustentável. Podem também encontrar mais receitas aqui ou aqui.

 

Algumas notas para terminar. Os óleos essenciais referidos nas receitas são sempre opcionais e servem sobretudo para aromatizar. É verdade que são um pouco caros, mas também é verdade que, uma vez que se utilizam apenas algumas gotas em cada receita, é muito provável que rendam bastante. Seja como for, a maior parte das receitas também funciona sem eles.

Quando se faz detergentes que dão para várias utilizações e que, portanto, vão ficar guardados, é importante não se fazer em grandes quantidades. Isto porque os ingredientes utilizados são perecíveis e não contêm conservantes: como qualquer outro produto alimentar, ao fim de algum tempo começam a perder propriedades e podem ganhar cheiros desagradáveis, daí que seja melhor produzir em quantidades menores.

 

E vocês, têm receitas preferidas para cuidar da cozinha de forma mais sustentável? Deixem nos comentários e inspirem o mundo a mudar convosco ;)

 

***

Este artigo faz parte do desafio "52 ideias para fazer menos lixo/desperdiçar menos, mudar o mundo", que é isso mesmo, um desafio. E como este desafio há muitos. Não pretendemos estar a inventar nada, mas também não estamos a copiar ninguém. As ideias aqui sugeridas, e a sua apresentação em 52 semanas, pretendem, isso sim, ser apresentadas como algo acessível e passível de ser feito facilmente por todas as pessoas. Isto porque acreditamos que os caminhos longos, como este de ter uma vida mais sustentável, são mais difíceis de iniciar. Mas, como todos os caminhos, fazem-se com um passo de cada vez.

 

Créditos da imagem: @mppllc via Twenty20



Produtos Relacionados