# 19 Faz o teu próprio desodorizante

# 19 Faz o teu próprio desodorizante

Fazer os próprios cosméticos é uma das formas de se reduzir a nossa pegada ecológica, seja porque reduzimos o consumo de embalagens, seja pelo que se poupa em transporte. Claro que é sempre necessário comprar os ingredientes, mas uma compra vai dar para produzir em casa vários “lotes” do cosmético que vamos passar a produzir, para além de que comprar o ingrediente em vez de um produto transformado reduz uma série de passos na cadeia de produção.

Mas produzir os próprios cosméticos também exige algum tempo. Isto porque, se em alguns casos podemos utilizar os ingredientes que já existem na despensa, noutros não é bem assim. Se envolver óleos essenciais, então aí a questão ainda se torna um pouco mais delicada: os óleos essenciais têm propriedades que é importante conhecer bem para se poder usar em segurança e, para além disso, são bastante caros, sobretudo se queremos utilizar apenas algumas gotas pontualmente.

 

A sugestão desta semana para uma vida mais sustentável é produzir em casa uma das coisas utilizadas nos rituais diários de higiene da maioria das pessoas e que, ao mesmo tempo, é fácil e pouco dispendioso de produzir em casa. Estou a falar de desodorizante caseiro. 

Há alguns anos que faço o meu desodorizante. Comecei por várias razões: os ingredientes sintéticos que compõem os desodorizantes de supermercado, o desperdício das embalagens e os perfumes que sempre senti como forçados e que me enjoavam pouco tempo depois de começar a usar. Procurei, testei as receitas e cheguei a uma super fácil, barata, saudável e com muito menos desperdício: apenas óleo de cocô, amido de milho e bicarbonato! Sem cheiro, porque optei por não usar óleos essenciais: as axilas são uma zona do corpo muito delicada, com glândulas sensíveis e os óleos essenciais têm as particularidades que já referi acima.

 

Para ser completamente sincera, hoje em dia já não faço o meu próprio desodorizante. Não porque tenha voltado às opções do supermercado, mas porque encontrei uma alternativa que me enche as medidas (as de saúde, preço, aroma e sustentabilidade). Quando conheci os produtos da Água Mole fiquei rendida a todos, mas em especial ao desodorizante. Era muito parecido com o meu querido desodorizante caseiro, mas resolvia-me três problemas: não se torna líquido no verão, tem óleos essenciais escolhidos por quem percebe do assunto (com aromas agradáveis mas muito suaves e eficazes contra os maus odores) e, por último, não tinha de o fazer (esta razão é por pura preguiça!, mas nem por isso menos valida :). Mudei há um ano. Continuo a adorar. E, na mesma, com mínimo desperdício.

 

Deixo-vos abaixo a receita de desodorizante caseiro, uma vez que continuo a achar que é uma boa forma de se entrar pelo mundo dos cosméticos feitos em casa, de reduzir já hoje a quantidade de embalagens consumidas e de se adicionar, a meu ver, qualidade e saúde á rotina diária de colocar desodorizante.

 

Só uma nota final para quem vai experimentar a receita: a nossa pele é o nosso maior órgão (como tantas vezes ouço a Água Mole referir) e portanto é preciso trata-lo com muito respeito e cuidado. Ao escolher os ingredientes, o ideal é que sejam biológicos e da melhor qualidade. 

 

E pronto! Deixem nos comentários a vossa experiência e partilhem a vossa mudança com o mundo ;)

***

Este artigo faz parte do desafio "52 ideias para fazer menos lixo/desperdiçar menos, mudar o mundo", que é isso mesmo, um desafio. E como este desafio há muitos. Não pretendemos estar a inventar nada, mas também não estamos a copiar ninguém. As ideias aqui sugeridas, e a sua apresentação em 52 semanas, pretendem, isso sim, ser apresentadas como algo acessível e passível de ser feito facilmente por todas as pessoas. Isto porque acreditamos que os caminhos longos, como este de ter uma vida mais sustentável, são mais difíceis de iniciar. Mas, como todos os caminhos, fazem-se com um passo de cada vez.

Produtos Relacionados